Ninguém gosta de pagar imposto, né?
Que tal destinar ele para
a Parceiros Voluntários?

Incentive os projetos sociais da sua região com seu Imposto de Renda

De acordo com a receita Federal, quando você faz a sua Declaração Anual de Imposto de Renda, poderá decidir onde será aplicado a parcela do seu IR. Você não pagará mais imposto e nem terá sua restituição diminuída. Ele apenas permitirá que parte do seu imposto devido seja destinado diretamente para os Fundos Sociais da sua região, em vez de ser encaminhado ao Tesouro Nacional. Lembre-se: ao longo do ano, você pode destinar até 6% do seu valor estimado, ou se preferir, de janeiro até abril de cada ano, limitado a 3% do seu valor devido ou a restituir.

Destine seu imposto ao maior movimento de voluntariado jovem do Brasil

A destinação é realizada no Programa da Receita Federal, diretamente aos Fundos dos Direitos da Criança e do Adolescente.

1. No programa da Receita, na sua declaração, procure a seção Fichas da Declaração e então você encontrará a opção Doações Diretamente na Declaração ECA

2. Clique em Novo para incluir uma doação e, na próxima tela, é possível conferir o valor calculado para a doação e o valor de restituição (ou imposto devido) antes da inclusão da doação.

3. Depois, basta informar o CNPJ da Parceiros (01.704.771/0001-22) e definir o valor. Por último, é só clicar em Darf – Doações Diretamente na Declaração para imprimir o boleto. Não esqueça de pagar antes do vencimento.

DOAR AGORA

Ou invista através das Leis de Incentivo Fiscal

As Leis de Incentivo Fiscal têm como objetivo estimular o investimento de empresas e pessoas físicas, destinando parte dos seus impostos a projetos socioambientais, culturais e de saúde em todo o país. Desta forma, uma empresa e pessoas podem fomentar projetos que refletem a sua responsabilidade social e os seus valores.

Veja para onde você pode destinar os seus tributos: Lei de Incentivo à Cultura Programa de Ação Cultural - São Paulo (ProAC/SP) Programa Municipal de Apoio a Projetos Culturais - São Paulo (Promac/SP)

DOAR AGORA
  • Nós temos um trabalho que é muito voltado a desenvolver as capacidades e as competências das crianças e dos jovens para que eles tenham alternativas de enxergarem o mundo de um outro viés e não como coitadinhos... Mas sim como potenciais cidadãos que podem construir a sua caminhada. Nós vimos no trabalho voluntário, a partir da nossa empresa, como uma oportunidade da gente está tangibilizando e materializando esse desejo social de liberdade, igualdade e fraternidade.
    Jacqueline Lima - Diretora da Adequá Comunicação Estratégica
  • Eles amadureceram muito! Os estudantes mudaram de atitude, porque, uma coisa que a gente sempre frisa bem, como a gente trabalha com os pequenos no recreio dirigido, eles se tornam os exemplos. Por isso, eles ficaram mais conscientes da realidade deles, da realidade dos outros. Nós também trabalhamos com doação de alimentos, agasalhos, brinquedos. E como o número de visitas nessas instituições é limitado, eu não consegui abordar muitos alunos, mas os que foram foi fantástico a mudança que eles tiveram. Eles começaram a se perceber e a perceber que muitas vezes eles reclamavam sem ter um motivo. Esse querer ajudar o outro começou a aflorar.
    Professora Cristine Lersch - Escola Prudente de Morais
  • Nosso trabalho transforma a vida do nosso público-alvo e comunidade em geral pois prezamos pela valorização do ser humano em nossas ações, independentemente se são pessoas com esquizofrenia e bipolaridade assim como seus familiares, que são nosso público alvo. Trabalhamos pelo fortalecimento dessa rede de solidariedade uns com os outros, fazemos nosso trabalho com empatia, amor e afeto, criando em conjunto estratégias de (auto)cuidado que impactam diretamente nas nossas ações.
    Danielli Silva - Presidente Voluntária CPIPI
  • Em vez do pai levar a criança para um projeto, é ao contrário, os alunos acabam trazendo os pais, a família a participar do projeto através das suas ações. E isso tem sido uma grande mudança na nossa comunidade!
    Edgar de Quadros - Professor na Escola Estadual Maria José Mabilde
  • O NCC Belém tem um marco antes da Parceiros Voluntários e depois da Parceiros Voluntários. A transformação aconteceu aos poucos, mas sempre numa melhora constante. Aprimoramos os controles internos, a transparência e a prestação de contas em sua totalidade. A implantação da Coordenação de Voluntários contribuiu para passarmos de 22 voluntários para 59 atualmente. Tudo isso dentro da metodologia apreendida! Também foi criado um setor de projetos após várias visitas a Parceiros Voluntários a fim de aprender o conhecimento para sua implantação. Hoje, o resultado é satisfatório. No impacto da comunidade, estamos dando possibilidade de qualificação profissional aos moradores do extremo sul de Porto Alegre, bem como educação e cultura.
    Carlos Augusto Medina - Gestor Administrativo do NCC Belém
  • Pra mim, a importância de participar do projeto Tribos é de saber que não estamos sozinhos no mundo, que tem pessoas com menos condições, sejam elas de vida ou de conhecimento, e que nós, que temos mais oportunidades podemos levar a elas o que está ao nosso alcance. A Tribos me ensinou a ter visão, visão para frente e visão para os lados, com isso quero dizer que, não pensar somente no agora, mas ver que o futuro está mas minhas mãos, está na mão do coleguinha e que nós somos responsáveis pela mudança para um mundo melhor. E o que mudou na minha vida foram os valores, que já recebidos anteriormente, ficaram inativos, talvez pela falta de oportunidade para usá-los, mas a Tribos abriu portas e me deu chances de botar em prática, e inclusive, aperfeiçoou eles.
    Rafaella Rodrigues - Tribeira no Projeto Tribos nas Trilhas da Cidadania